Categorias de startups, quais existem?5 minutos de leitura

Você deve se perguntar o que são essas techs que a gente vê todos os dias no cenário das startups, não é mesmo? Existem as Fintechs, HealthTechs, Edtechs e muitas outras que acompanham alguma representação do setor + o sufixo “Tech”. Mas afinal, o que cada uma quer dizer e qual impacto elas têm?

Startup

StartUp

As Techs e o impacto delas no seu dia a dia

Além dessas três que eu citei aqui no início do blog, existem várias outras e todas muito interessantes de serem estudadas e quem sabe até mesmo servir de inspiração para o desenvolvimento de um novo negócio. O conceito de startup de maneira geral traz consigo que ela precisa ter um modelo de negócio escalável e explicável, onde os custos não acompanhem o lucro e que essa proporção seja mais lucrativa do que custosa para a operação.

Os negócios sempre existiram, assim como a padaria da Dona Joana e do Senhor José e que tinham vários pães quentinhos pela manhã para o seu café. Com o surgimento das startups e a inserção da tecnologia em seus modelos de negócio, elas trouxeram algo muito importante e que aqui eu vou citar o Denis Ferrari em um papo que a gente teve no InovAtiva Day de 2021.2 falando sobre “Como construir produtos que funcionam” e a fala foi:

Tecnologia não é para viabilizar, mas sim escalar negócios

Com essa fala, acredito que fique um pouco mais claro para você quando você começa a utilizar serviços de uma empresa chamada Nubank, por exemplo. O Nubank é considerado uma Fintech, startup do ramo financeiro que utiliza tecnologia para acelerar e facilitar o acesso dos serviços que antigamente oriundos apenas dos bancos tradicionais em agências para aplicativos e sites mais responsivos e com processos mais simplificados.

Hoje existe uma Tech em quase que todos os nichos de mercado. O que faz a existência de todas essas verticais tecnológicas aplicadas em startups existir?

  • Gerações diferentes
  • Diferentes maneiras de consumo
  • Perfis econômicos
  • Novos hábitos
  • O que se denomina em uma nova cultura social.

Quais são os segmentos existentes entre as Tech e o que cada uma delas significa? Com a utilização da tecnologia para se tornarem escaláveis, as startups estão atuando em diversos segmentos, como finanças, saúde, educação, entre outras. Onde existe uma dor, existe uma possibilidade de se ter um negócio lucrativo e uma possibilidade de construir uma marca forte, tendo um negócio com muitos resultados.

E quais são segmentos mais presentes no seu dia a dia:

  • Fintech

São startups que utilizam a tecnologia como meio de oferecer produtos e serviços financeiros, com inovações, menos burocracia e custos. Como já comentado acima, o roxinho querido da galera é considerado uma Fintech.

  • Edtech

É o segmento das startups que oferecem soluções tecnológicas os desafios na área da educação. O Isaac e a Quero Educação são exemplos claros.

  • Healtech ou Medtech

São startups que utilizam a tecnologia para desenvolver soluções para os desafios no setor de saúde e bem-estar. São exemplos de empresas dessa área a Gympass e a Vittude.

  • Foodtech

São as startups de tecnologia do setor alimentício, que visam otimizar toda a cadeia produtiva dos alimentos. Uma das mais conhecidas é o iFood e junto a ela também tem a Delivery Mutch e Aiqfome.

  • Lawtech ou Legaltech

Se tratam das startups que oferecem serviços e produtos de base tecnológica na área jurídica, que buscam diminuir os gastos com burocracias e custos desnecessários. Dois exemplos para essas startups são, Paduan Seta, Jurídico por Assinatura e Acordo Fechado

  • Proptech ou Imobtech

São startups focadas no setor imobiliário, que criam produtos e serviços que visam desburocratizar e facilitar o processo de compra, venda e aluguel de imóveis. Alguns exemplos da área são as empresas Quinto Andar e a Loft.

Algumas outras áreas são:

  • HRtech ou RHtech: startups de tecnologia do setor de recursos humanos;
  • Energytech: startups de tecnologia do setor de energia;
  • Agrotech ou Agtech: startups de tecnologia do setor de agronegócio;
  • Construtech: startups de tecnologia do setor de construção;
  • Insurtech: startups de tecnologia do setor de seguros;
  • Sporttech: startups de tecnologia do setor de esportes;
  • Govtech: startups de tecnologia do setor de administração pública;
  • Retailtech: startups de tecnologia do setor varejista;
  • Adtech ou Martech: startups de tecnologia do setor de marketing digital;
  • Cleantech: startups de tecnologia do setor ambiental, as chamadas “startups verdes”;
  • Nanotech: startups de tecnologia do setor de nanotecnologia;
  • Funtech: startups de tecnologia do setor de entretenimento;
  • Fashiontech: startups de tecnologia do setor de moda;
  • Biotech: startups de tecnologia do setor de biotecnologia;
  • Indtech: startups de tecnologia do setor industrial;
  • Regtech: startups de tecnologia do setor de compliance;
  • Martech: startups de tecnologia do setor de marketing.

Como cada uma dessas startups são construídas

Todas as startups tem sua estruturação baseada no BMC e/ou Lean Business Canvas. Já falamos sobre eles aqui no blog do Hackathon Academy e essa é uma ferramenta super importante, pois traz de maneira otimizada e de maneira objetiva o que cada uma das startups buscam resolver em seus segmentos. Um dos propósitos das startups, seguindo seu modelo escalável e explicável é que a proposta de valor precisa ser transmitida de maneira fácil e rápida.

Com certeza você já ouviu falar no Pitch Elevator, não é mesmo? Esse pitch se chama assim devido aos casos de encontro de founders de startups com investidores nos lugares mais inusitados ou inesperados como um elevador, por exemplo.

A gente buscou trazer esse blog do hoje para esclarecer para você o que é cada um deles e para não ficar mais perdido e perdida. Espero que você tenha gostado e espero que possa te ajudar no seu dia a dia!

Matheus Carvalho

Líder na Rio Sul Valley, Maker na ErreJota, Agente InovAtiva, Embaixador no Angel Investor Club, Community Manager no Hackathon Academy e Projects & Operations na Haze Shift