Tecnologias para usar em hackathons6 minutos de leitura

Você sabe quis tecnologias estão em alta no mercado?

Fala pessoal, tudo bem? Para quem não me conhece, meu nome é Matheus Oliveira e vamos bater mais um papo mega interessante nesse post de hoje. No post anterior, falamos sobre Habilidades que devs adquirem em hacks. Já deu uma conferida? Abordamos um assunto bem massa, as famosas Soft skills. Vale a pena dar uma olhada.

Agora eu vou te mostrar uma coisa bem curiosa. Sabia que projetos com tecnologias inovadoras e disruptivas tendem a levar mais pódios em hackathons? Seguindo essa lógica, podemos então ter uma noção de quais tecnologias são interessantes para incluir nos nossos projetos.

Vamos juntos explorar hoje as Tecnologias mais interessantes para usarmos em hackathons.

Para começarmos a nossa listinha, é bom entendermos três coisas. A primeira coisa é que a ordem não está diretamente ligada à importância ou relevância da tecnologia. Tudo é bem útil e depende de um contexto com funcionalidades específicas. A segunda é que, junto das tecnologias vou botar também um exemplo de empresas que utilizam a tecnologia. Vai que te ajuda a ter uns insights legais. O terceiro e último ponto é que os itens citados nessa lista podem e devem ser utilizados em conjunto com os outros. Tecnologia é algo maravilhoso, combinando umas com as outras podemos criar verdadeiras obras de arte, concorda?

E como dizia o Escritor Arthur C. Clarke,

Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinta de magia.

Olha que legal, devs podem ser magos também haha

Blockchain

Começando com força total, temos a queridinha blockchain. É praticamente impossível falar de tecnologias disruptivas e inovadoras e não citar uma das mais comentadas dos últimos tempos.

Em uma tradução livre obtemos “cadeia de blocos”. Os blocos que estão sendo criados a todo momento se ligam ao bloco anterior, formando, então, uma corrente sem fim. Temos muitas vantagens no uso dessa tecnologia, como, por exemplo, dificuldade de adulterar dados, descentralização e rastreabilidade. Dentre as muitas formas de se usar a blockchain, temos como exemplo validação de documentos, transações financeiras, streaming e rastreamento. Algumas redes de supermercado como Carrefour, por exemplo, utilizam a blockchain para acompanhar toda a cadeia de produção de um determinado produto. Você sabia que aqui na plataforma da TAIKAI também é utilizado blockchain para sistema de votação e como mecanismo de recompensa por token? Bem legal né?

Big Data

Big data merece seu lugar na lista das tecnologias mais inovadoras. É a área do conhecimento que estuda como analisar e tratar um número massivo de dados e gerar insights a partir desses conjuntos, grandes demais para serem analisados por sistemas tradicionais. Seus pilares incluem processamento de dados mais rápido, algoritmos mais eficientes, redução de custos e aumento da eficácia de processos e produtos. Processar uma quantidade massiva de dados em altíssima velocidade é com certeza um desafio e tanto. Esses insights gerados permitem as empresas a identificar tendências, gostos, costumes do cliente e criar uma oportunidade de negócio.

O simples fato de pesquisar um conteúdo no Google e entrar em um site qualquer, já gera uma quantidade enorme de dados. Cada link clicado, tempo perdido dentro de um determinado site, assunto pesquisado, comentário feito e até um simples like. O varejo brasileiro é líder em big data analytics na América Latina. Quando você ouvir falar que dados são o novo petróleo, acredite, é verdade esse bilhete.

Machine learning

O aprendizado de máquina é a capacidade dos computadores de “aprender” sem terem sido necessariamente programados. Essa técnica já é usada em setores como saúde, finanças, comunicação e varejo. Para que esse processo seja feito da melhor forma, é necessária uma quantidade bem grande de dados de qualidade, assim, machine learning combina perfeitamente com big data. Uma corrida por profissionais qualificados para trabalhar com essa tecnologia já vem ocorrendo a um tempo e muitas empresas estão vendo os frutos desse trabalho, reduzindo seus custos e potencializando resultados. Você sabia que a Mastercard usa machine learning para evitar fraudes em cartões de crédito?

IoT

Internet of things, ou internet das coisas, nada mais é do que dispositivos “físicos” munidos de sensores, software e internet. A junção desses três itens é sensacional. Imagina que você acorda de manhã, e ainda na cama acende a luz, liga seu computador, bota sua cafeteira para trabalhar e seu robô para varrer o chão com apenas um comando de voz. Isso não é futuro, é presente e é graças ao IoT. Essa tecnologia vem ganhando espaço e cada vez mais empresas param para investir seu tempo e esforço em pesquisas e desenvolvimento relacionado ao tema. Com o advento do 5G, vemos um potencial estrondoso para o que o IoT pode fazer. Com o desenvolvimento de software e hardware para IoT, a startup “Ativa soluções” vem ganhando um enorme destaque no mercado.

Cloud

A computação em nuvem é a entrega de recursos de TI sob demanda, ou seja, você paga aquilo que usar. Em vez de comprar, ter e manter datacenters e servidores físicos, que demandam muito tempo e dinheiro, você pode usar provedores de nuvem. Os provedores podem fornecer segurança, armazenamento e capacidade de computação para a empresa ou projeto utilizar, tudo isso quando e onde quiser. Um dos maiores benefícios com certeza é o que chamamos de elasticidade, que nada mais é do que aumentar ou diminuir a capacidade computacional de acordo com a demanda que seu projeto tiver no momento. E claro, você paga somente por aquilo que usar.

Aumentar a capacidade computacional de um datacenter próprio, por exemplo, já não é algo tão simples assim que com apenas alguns cliques você resolve. Demandaria tempo, muito dinheiro e profissionais qualificados para o serviço. Fora que, depois de um determinado período em que você não precisasse mais dos novos equipamentos, não teria como se livrar deles facilmente. Trabalhoso, não? As empresas vêm olhando para profissionais da área com carinho, principalmente aqueles que conseguem as tão sonhadas certificações cloud. O nosso queridinho Nubank é um ótimo exemplo de empresas que confiam nos serviços em nuvem

Bom pessoal, espero muito que vocês tenham curtido o conteúdo porque infelizmente chegamos a mais um final de post 🙁

No nosso meio, tudo muda e evolui muito rápido. Quem sabe quais novas tecnologias disruptivas e brilhantes podem surgir por aí né? Conta para mim nos comentários quais tecnologias vocês mais gostam de utilizar.

Nos vemos no próximo post, abraço.

Matheus Oliveira

Software engineering analyst na Accenture, Embaixador no Hackathon Academy, vencedor do Hacktudo Sul Fluminense, finalista no Hackathon da Smiles, LacLaw, Health Challenger Brazil, Co-founder da Olimpo, escritor no blog HA e investidor de startups.