Hackathons e a nova ferramenta de atrair talentos8 minutos de leitura

O impacto da inovação aberta na sua atração e seleção de novos talentos

Inovação Aberta é uma excelente maneira através dos Hackathons, Ideathons, Datathons de realizar um processo seletivo com mais diversidade e inclusão, explorando as habilidades técnicas (hard skills) e as habilidades socioemocionais/comportamentais (soft skills) como uma nova ferramenta para atrair e selecionar pessoas talentosas para a sua organização.

Um modelo antigo de Recrutamento e Seleção

O processo de recrutamento e seleção já foi de diversas maneiras. Num passado não muito distante as pessoas que atuavam no campo ou não eram da realeza e até mesmo do clero, precisavam trabalhar para poder alimentar suas famílias e prosseguirem na vida. Contudo, o sistema era muito arcaico e difícil de existirem possibilidades de desenvolvimento e até mesmo crescimento na hierarquia social. Uma pessoa que era filha de padeiro, tinha a tendência a ser padeiro por toda a vida, assim como um agricultor iria ser agricultor por toda a vida.

Se você parar para analisar de como os primeiros trabalhos surgiram durante a história, você verá que houveram sim, grandes evoluções, mas nada comparado com o peso e velocidade que tem sido hoje.

Pessoas que atuam na área de R&S analisavam vários currículos por dia, antes dos ATS (Applicant Tracking System). Chegou a ser matéria de vários jornais que um entrevistador chegava a analisar os currículos pela fase de triagem com uma média de 1 a 3 minutos por currículo. Assim como uma redação é analisada em uma estrutura para que depois aconteça as análises mais pontuais, as pessoas responsáveis por realizar esses processos seguiam da mesma maneira.

ATS (Applicant Tracking System) e as novas ferramentas no Recrutamento e Seleção

Os ATS chegaram para poupar um grande tempo que era perdido pelo setor de Recursos Humanos nas empresas, na otimização de análise não apenas estrutural, mas a principal, busca por palavras-chave, analisando o que eles buscavam conforme a demanda para vaga, sobre os principais requisitos que a vaga demandava e depois disso eram passados testes e mais testes.

Por mais que esses processos tenham se tornado mais otimizados, eles custam muito tempo e não são nada democráticos. E essa é uma das ferramentas atuais utilizadas no mercado brasileiro, não são inclusivas, não visam a interdisciplinaridade e pouco foco na diversidade das pessoas.

Quando as startups começaram a se tornar mais fortes e grandes, as empresas começaram a se atentar aos primeiros movimentos do Google no Vale do Silício sobre de como eles cuidavam de sua cultura, as empresas deram uma atenção maior sobre as habilidades, perfil e até fit cultural das pessoas que entravam para a empresa ao invés da quantidade.

Para que uma pessoa esteja na área operacional ela precisa ter X característica, o que torna um padrão. Mas com esse movimento pensando mais na cultura, líderes, homens e mulheres começaram a entender que mesmo na parte operacional na empresa era necessário haver diversidade. Pessoas iguais, realizam processos iguais. Pessoas singulares, realizam processos iguais de maneiras diferentes.

“Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.” – Albert Einstein

As inteligências diferentes, Soft e Hard skills tem um grande peso sobre como cada pessoa visualiza um processo, quais mudanças e melhorias ela pode idealizar em um negócio.

E mesmo com a existência dessas ferramentas como o ATS, elas não conseguem identificar as características mais importantes como, entender pessoas e suas singularidades, essas sim são grandes tecnologias. E o que pode ser um novo meio para esse fim são os hackathons!

Hackathons e o que isso muda no processo de Recrutamento e Seleção

Aqui está um grande ponto de inflexão tanto para pessoas que estão no mercado de trabalho, com ou sem experiência, buscando uma oportunidade. Para pessoas recrutadoras em grandes, médias e pequenas empresas entenderão que sim, existe a possibilidade de diminuir os custos num processo tão trabalhoso e importante para a empresa através de uma ferramenta simples (fácil) de ser desenvolvida, personalizada e realizada para obter os resultados que a organização deseja. Falamos aqui sobre o que é um hackathon através de sua definição, mas vou trazer aqui para você que o hackathon além de ser tudo do que ele é em estrutura, as possibilidades são diversas.

Começando por você que talvez esteja buscando um novo emprego ou até esteja numa possível transição de carreira, os Hackathons são um grande meio para o objetivo que você busca. Nas maratonas de inovação você realmente se desafia! Algumas delas acontecem em dias de semana e outras mais curtas em dois dias do fim de semana ou até três dias (incluindo a sexta) numa grande aventura de buscar compreender os desafios propostos, realizar pesquisas para entender as principais dores das pessoas, conversar com mentores e mentoras sobre as dores do desafio, para que após uma confirmação sobre uma grande dor, possam desenvolver uma solução possível de realmente resolver aquele problemão.

Tudo isso em poucas horas e possivelmente com pessoas que você nunca tinha visto na vida. E é aqui que você não apenas começa o desenvolvimento, como também vê o quão necessário é o desenvolvimento das suas Soft Skills, suas habilidades de relacionamento, oratória, exemplificação, senso crítico, entre outras, para conseguir em tempo hábil, o desenvolvimento dessa solução.

O mais interessante de tudo nessa jornada é a própria jornada. Você verá que você se torna uma outra pessoa após cada desafio e eu posso dizer que sou prova viva disso: ninguém é a mesma pessoa após um hackathon. O ponto mais crucial de desenvolvimento em mim, foi o pensamento crítico, com mais velocidade e principalmente saber correr risco, tomando decisões rápidas.

Agora para você que é uma pessoa recrutadora, vai entender mais um pouco do que eu estou falando aqui. Assim como você pode ser formada em RH, administração, psicologia e até serviço social, eu também sou formando em um desses cursos que é o RH.

“Ah, mas o que uma pessoa formando pode compartilhar comigo sobre sua experiência?” Vamos lá, deixa eu te surpreender.

Assim como você bem sabe, processos seletivos são cansativos, difíceis, caros – dependendo da vaga – e até mesmo podem se tornar frustrantes quando não se consegue o perfil de acordo com o que a pessoa gestora da vaga deseja. E aí que entram os hackathons. Essa ferramenta não apenas possibilita como abre portas para que sua empresa trabalhe o employer branding dela, engaje mais os funcionários a se tornarem mentores e pode ter um momento de ouvir o que cada colaborador da sua organização sente sobre os desafios diários.

Dentro de um processo de inovação aberta, a ferramenta mais benéfica é ter o cliente perto e que nesse caso você abrange as esferas de funcionários desde o operacional, até o estratégico, como nesse caso da pessoa gestora da vaga. Você sabe que algumas boas maneiras de se trabalhar a cultura da empresa, é levando a própria cultura para que outras pessoas possam ver de perto quem faz a cultura de uma empresa, as pessoas.

Durante todo o hackathon você que é pessoa recrutadora, gestora, líder, poderá conhecer possíveis pessoas que estarão no dia a dia com você. Ali dentro do hackathon o relacionamento já começa e você poderá perceber como as pessoas são sobre pressão ao invés de apenas olhar no currículo no que ela diz sobre suas soft Skills e melhor do que simples testes computacionais, podendo ver na prática como ela se porta e comporta durante as mentorias, no relacionamento com as pessoas, trabalhando com prazos curtos, sobre pressão e com várias entregas a serem feitas.

Inovação Aberta é uma excelente solução para você

Seja você uma pessoa recrutadora, gestora, desempregada ou até em transição de carreira, os benefícios que essa ferramenta agregar para sua empresa e para a sua carreira só depende de você e como você traz esses benefícios para dentro de si ou da própria organização.

Algumas grandes empresas como Ambev, Santander, Magazine Luiza, Microsoft, entre outras utilizam dessa ferramenta como um novo meio mais inclusivo e integrativo para modernizar um processo que era antigo, o Recrutamento e a Seleção de pessoas. E para você que busca uma nova ferramenta para modernizar seu processo, o tornar mais criativo, personalizado, inclusivo e diverso, está aqui, TAIKAI!

Espero que você tenha gostado. Um forte abraço e até mais.
Let’s Hack!

Matheus Carvalho
Líder na Rio Sul Valley, Maker na ErreJota, Agente InovAtiva, Embaixador no Angel Investor Club,  Community Manager no Hackathon Academy e Projects & Operations na Haze Shift.