Storytelling e o impacto no Pitch Time8 minutos de leitura

Qual é o impacto do Storytelling no seu Pitch Time 

É como diz o ditado: a primeira impressão é a que fica”. E nada melhor do que se ter uma boa primeira apresentação, não concorda?

Nesse texto vamos explicar sobre o que o Storytelling, Pitch Time e como ambos podem fazer com que você seja realmente impactante em suas apresentações. Vamos falar sobre a estrutura de cada uma das duas ferramentas, alguns exemplos e ainda deixar recomendações de livros para você poder se embasar melhor e ter apresentações de alto impacto. Curtiu? Vamos nessa!

Storytelling, sua estrutura e como usar:

Storytelling é um termo em inglês que acompanha a junção das palavras “Story“, que significa história e “telling“, contar. Mais que uma mera narrativa, Storytelling é a arte de contar histórias usando técnicas inspiradas de maneiras lúdicas e em verossimilhanças para transmitir uma mensagem de forma inesquecível.

Ter uma boa ideia, é importante. Mas saber vendê-la é essencial! E não saber contar uma boa história é não saber envolver o seu público alvo da maneira que mais possa ser atrativo, além de que toda a sua expectativa sobre ser o fundador ou a fundadora de um unicórnio, irá lama a baixo.

“Ah, mas eu já vou sair produzindo histórias incríveis do dia pra noite só de ler esse blog?” Nem só de webinar, vídeo-aula e cursinho se vive o empreendedor e a empreendedora, mas de muita prática e com certeza é praticando que se aprende. A gente sabe, não é mesmo? Entender sobre seu público alvo e sua persona, com toda certeza fará total diferença.

O Storytelling é uma ferramenta envolvente que consegue sensibilizar e mostrar para pessoas através de um grande senso de rapoort o que elas realmente buscam e que podem encontrar no seu produto ou serviço.

Elementos de um bom Storytelling

O storytelling contém alguns elementos que são essenciais para sua criação e quando citamos alguns deles, são: personagem, ambiente, conflito e uma mensagem. Assim como esse texto que você está lendo agora, ele precisa ter um começo, meio e fim, para transmitir uma mensagem de forma impactante para conectar com o seu cliente, banca ou até mesmo um possível investidor. Vamos falar um pouco mais dos elementos aqui abaixo. 

Mensagem:

É comum separarmos o storytelling em duas partes: 

story: a história e a mensagem a serem transmitidas; 

telling: a forma como essa mensagem é apresentada.

Para um início, a gente sabe que nem tudo irá sair como esperamos — e tá tudo bem — mas nem é por isso que não podemos desenvolver algo que dê um real impacto em quem for ler ou ouvir. Certo? Você tem dois focos aqui, pensando de uma maneira construtiva e a primeira é a parte do “story”, onde seu foco estará em ter uma mensagem forte a ser transmitida. Na segunda parte, seu foco estará mais focada no ‘telling”, a maneira que você irá contar. Elas precisam ser perfeitas? Não! Elas precisam envolver seu público e sua persona. Serem fiéis a elas. Sendo um bom ou uma boa empreendedora, com certeza você deve ter isso na ponta da língua, então foque nisso para essa produção.

Ambiente:

Você só precisa idealizar um lugar e mais uma vez ressalto para você envolver o seu produto ou serviço, a melhor circunstância, onde ele será mais efetivo e que faça com que o seu cliente ideal possa se identificar e embarcar nessa jornada de experiência e criatividade. 

Personagem

O personagem é a sua persona, quem percorre essa jornada e embarca na sua aventura que está sendo construída dentro de toda essa estrutura que estamos contando por aqui, juntos. E assim como uma boa estrutura de narrativa, o personagem precisa superar os desafios. Certo? Sim!

Conflito

Aqui é onde a sua solução brilha e faz com que o seu personagem possa superar a dificuldade que a sua solução foi desenvolvida para resolver, curar e não passar um merthiolate. Assim como uma boa história, precisa ter um clímax, aquele famoso momento de ápice, onde tudo que o mais esperado acontece: as princesas ficam com os príncipes, a família fica unidade, os irmãos se encontram e o super-herói vence do vilão. Pense na jornada do seu usuário, do seu cliente e mesmo sabendo que você idealize a melhor jornada do mundo, existem alguns passos que ele precisa fazer para utilizar a sua solução, então imagine o tanto de distrações que ele possa ter até chegar lá, os emails chegando, todos os pop-ups, entre outros pontos. 

Pense bem sobre cada elemento do seu Storytelling e sabia que essa é a ferramenta ideal para você deixar aquela impressão que pode impactar, assim como falamos no início desse blog. 

Antes de finalizar, a fala sobre Storytelling, vamos para mais um tópico.

3 dicas de como não fazer um storytelling:

  • Contar histórias romantizadas;
  • Utilizar personagens que não se conectem com sua audiência;
  • Apresentar a mensagem de maneira muito direta.

E vale lembrar que essa é uma estrutura mais simples de contar sua história. Não podemos esquecer que o pitch tem no máximo 5 minutos em alguns casos e 3 em outros.

Storytelling em livros e algumas indicações para você:

Está curioso ou curiosa para saber sobre esses livros? Escolhi a dedo para você poder ter leituras mais direcionadas e claro, que possa fazer diferença na sua jornada empreendedora. 

Pitch Time 

O pitch é uma apresentação que pode ter a duração de 3 a 5 minutos com objetivo de despertar o interesse de quem estiver ouvindo (mentor, jurado, investidor ou cliente) pelo seu negócio. Por isso, lembre-se que para esse momento, sua apresentação deve conter apenas informações essenciais e diferenciadas do seu produto ou serviço.

Estrutura do Pitch Time e como usar:

Introdução – Introdução: Branding e Apresentação

No primeiro slide da sua apresentação você precisa adicionar a logo da sua solução e uma frase slogan que demonstre em uma sentença simples e objetiva, falando sobre o que seu produto ou serviço é, e que problema o cliente resolve com ela.

Problema – Apresente o Problema que você resolve!

Lembre-se que você não pode se apaixonar pela solução e sim pelo problema. Através dessa ação, você poderá realmente ter uma proposta de valor mais forte do seu produto ou serviço, mostrando que a dor do seu cliente precisa ser resolvido o mais rápido possível e com total eficiência que você oferece em sua solução.

Demonstre a relevância que ela tem, benefícios, agregue valor e mostre para seu cliente, a pessoa que precisa do que você desenvolveu, que ela realmente precisa. Foque no seu problema, no seu cliente e mostre que sua solução é o remédio definitivo para dor que ele sente. 

Tamanho de mercado – Mostre o Tamanho do Mercado que você está ou busca se inserir

O tamanho de mercado é uma parte super importante para toda a sua solução e nesse caso você precisa entender bem sobre ela, pois aqui você compreende melhor o espaço que você tem para crescer, quais são as possibilidades, como seu público está em relação a ele, inovações que possam ser desenvolvidas e claro, quais são as possibilidades de lucros para possíveis investidores. 

Algo muito importante que a maioria dos empreendedores e empreendedoras esquecem de falar sobre é o  que é o conceito TAM, SAM e SOM?

De maneira breve, TAM significa “Total Available Market” ou “Mercado Total”, SAM significa, “Serviceable Available Market” ou “Mercado Endereçável” e por fim o SOM significa, “Serviceable Obtainable Market” ou “Mercado Acessível”.

Para saber um pouco mais de maneira detalhada sobre esse assunto, vou deixar uma referência para você aqui

Solução – o que sua solução faz, como ela resolve a dor desse mercado e o que ela tem de diferente das demais?

Mostre a sua proposta, fale dos valores – e não do preço – como ela resolve o problema que foi apresentado por você nos slides anteriores.

Nesse momento não pode haver dúvidas. Explore bem seus coopetidores, o que eles fazem e que você faz melhor que eles. Porque as pessoas deveriam escolher você e não um outro produto? Faça essa reflexão e pense bem nas informações que irá adicionar nesse slide.

Modelo de negócios – Fale sobre o seu Modelo de Negócio e como ele escalará a sua solução!

Faça a si mesmo algumas perguntas como:

  • Como você vai ganhar grana com a sua solução?
  • Qual modelo sua solução se encaixa mais? B2B, B2C, B2B2C, B2G?
  • Que tipo de cliente irá focar para esse modelo?

Alguns últimos pontos de atenção para a sua apresentação, são:

Concorrentes, resultados (projeções financeiras, ganhos mensais, trimestrais, semestrais, breakeven), time (quem são as pessoas que fazem tudo isso acontecer?), objetivo (o que você busca das pessoas que está apresentando sua solução?), contatos (como as pessoas vão falar com você e com o time?) e por fim, NUNCA TERMINE SUA APRESENTAÇÃO COM É ISSO!

Espero que esse blog possa te ajudar. Boa sorte e Let’s Hack!

Matheus Carvalho

Líder na Rio Sul Valley, Maker na ErreJota, Agente InovAtiva, Embaixador no Angel Investor Club,  Community Manager no Hackathon Academy e Projects & Operations na Haze Shift.